Praias

uol

Boipeba

Turismo ecológico em paraíso do Baixo Sul baiano


boipeba.tur.br
Boipeba
Boca da Barra em Boipeba

Uma ilha quase virgem em pleno 2008, situada no Baixo Sul da Bahia. Parece até mentira, mas ela existe e está localizada bem ao lado da badalada Morro de São Paulo. A ilha de Boibepa é uma dessas raridades nos dias atuais para quem quer fugir dos agitos das cidades.


Não há grandes festas, boates ou bares movimentados. A ordem aqui é uma só: tranqüilidade e contato com a natureza. Cercada pelo oceano, por um lado, e pelo estuário do Rio do Inferno, por outro, a ilha abriga diversos ecossistemas de beleza natural marcante. Dunas, mata atlântica, corais, piscinas naturais de águas mornas, rios e manguezais encantam os visitantes. Um pedaço do paraíso a 90 km da capital baiana.

Quem quer balada, é melhor procurar outro lugar. Passeios sob a lua cheia, fogueira a beira mar, caminhadas na areia branca, cochilo nas praias desertas, pôr do sol no Morro da Caixa D´água. Esses são os principais programas na ilha. No máximo uma relaxada nas barracas rústicas da Boca da Barra, um mergulho ou um passeio de barco. Carros, nem pensar. Tudo é feito a pé ou de trator, o que contribui para a preservação ambiental e ajuda no crescimento do turismo ecológico.
A culinária fica por conta das delícias caseiras servidas na região. A exótica moqueca com banana-da-terra, bolinho de peixe, lagostas a preços modestos, sucos de frutas tropicais.

Foto Moreré
Foto: www.boipeba.tur.br / Praia da Coeira

Vilarejos

Já se passaram mais de 450 anos desde que o primeiro vilarejo da ilha foi formado por jesuítas. A Aldeia e Residência de Boipeba foi elevada à categoria de vila em 1603, devido à sua importância como fornecedora de matéria prima para a cidade de Salvador. Hoje, a vila vive da pesca.

A Velha Boipeba é o povoado mais importante e desenvolvido de toda a ilha. Com uma população de cerca de 1600 pessoas que moram ao redor da Praça Santo Antônio, o lugarejo presencia o aumento do turismo na região. Logo ao lado, separado alguns quilômetros por praias desertas, fica o povoado de Moreré, o segundo mais visitado da ilha. Ao sul, está o povoado de São Sebastião, também conhecido como Cova da Onça, devido à existência de uma gruta onde, segundo a lenda local, jesuítas se escondiam dos ataques dos índios durante a época da colonização.

Foto   Boipeba - Morere
Foto: www.boipeba.tur.br / Praia da Coeira

Praias em Boipeba

A ilha de Boipeba tem 20km de litoral quase deserto. É possível caminhar por horas sem encontrar ninguém. Mas existe a opção para quem prefere um pouco mais de comodidade. A Praia da Boca e a do Outeiro, bem próximas à vila, têm barracas, ainda simples, e abrigam algumas pousadas. São as mais movimentadas, embora preservem uma certa tranqüilidade

Seguindo ao sul, há a minúscula Praia das Pedras que dá acesso à Tassimirim. Protegida por corais que formam piscinas naturais, essa última é praticamente inabitada. Logo a seguir fica a Coeira, com pequenas ondas onde alguns arriscam a prática do surf.

Foto   Piscina natural em Moreré
Foto: www.boipeba.tur.br / Piscina natural em Moreré

Moreré é o paraíso de quem visita a ilha.

Deserta em alguns trechos, a praia é extremamente rasa e de água morna, às vezes até quente, com uma vegetação natural exuberante. Ótima para o mergulho. Para chegar de Moreré à Praia de Bainema é preciso percorrer uma trilha de areia quente por cerca de 15 minutos. Calmaria total também se encontra nas praias Cova da Onça, última ao sul da ilha, e na Ponta dos Castelhanos que é acessível apenas de barco, quase totalmente desabitada.
Quem quiser curtir toda a costa de uma vez pode agendar um passeio de barco ao redor da ilha de Boipeba, com direito a parada para banho e passeio pelos manguezais.

Dicas

Quem pretende visitar a ilha é bom ir preparado. Não existem bancos nem caixa eletrônico em Boipeba. Além disso, poucos lugares aceitam cartão de crédito ou cheque. Leve dinheiro em espécie e em real, pois não há, tampouco, casa de câmbio. O sistema de comunicação também não é dos melhores. Celulares funcionam em alguns pontos da ilha. Há um posto telefônico, alguns telefones públicos e um cyber-café.

Como chegar em Boipeba

Há três maneiras de chegar a Boipeba. A mais cômoda e rápida é a via aérea. Bimotores voam do aeroporto de Salvador para o extremo sul da ilha de Tinharé, de onde partem barcos até Boipeba. Outra opção é a viagem de catamarã, de Salvador a Morro de São Paulo, onde há barcos que atracam na Boca da Barra. Porém quem prefere encarar uma viagem de carro terá que ir até Torrinhas, na ilha de Cairu. Daí, lanchas e barcos vão até Boipeba. Há opções de travessia também por Valença e Graciosa.

Onde ficar em Boipeba

Boipeba abriga uma grande quantidade de pousadas, na sua maioria simples. Algumas oferecem mais conforto, como a Pousada Mangabeiras (75 3653-6153 / 3653-6182) com tarifas a partir de R$ 285 o casal. Boas opções também são as pousadas Horizonte Azul (75 3653-6080 / pousadahorizonteazul@uol.com.br) e a Marina de Boipeba (75 3653-6068 / marinadeboipeba@bol.com.br).

Marina Silva - 15/9/2008


")