Praias

Estrada Velha de Santos

Ecoturismo Caminhos do Mar reúne lazer e uma bela aula de história

Raquel Santos - 3/6/2009

Em virtude das fortes chuvas que ocorreram no final de fevereiro, houve vários deslizamentos de terra no local. Por medida de segurança, as visitas não estão sendo agendadas, sem previsão de retorno. As obras de recuperação estão sob responsabilidade do DER.

Quem só conhece as curvas da estrada de Santos pela famosa canção da dupla Roberto e Erasmo Carlos, não pode deixar de desvendar as belezas e mistérios de uma das mais nostálgicas rodovias do País. Após 12 anos de interdição, a Estrada Velha de Santos foi reaberta à visitação em abril de 2004 e desde então recebe os turistas para passeios a pé, no projeto denominado Ecoturismo Caminhos do Mar. Como a região está situada no Parque Estadual da Serra do Mar, uma área de proteção ambiental, as incursões devem ser agendadas com a EMAE (Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A), responsável pelo roteiro.

 Fotos: divulgação Ecoturismo Caminhos do Mar

estrada velha de santos

Passeio compreende todo o trecho de serra da Estrada Velha

O trajeto é auto-guiado com a presença de monitores em pontos estratégicos e compreende todo o trecho de serra da Estrada Velha, na divisa entre os municípios de São Bernardo do Campo e Cubatão. A caminhada pela estrada pode ser feita das seguintes formas:

1. Caminhada Completa: são 16 km, sendo 8 km de descida e mais 8 km de subida. É recomendada às pessoas com bom condicionamento físico e que tenham costume com longos percursos, pois a subida é pesada. Entre subida e descida o tempo estimado é de 6 horas.

 2. Meia Caminhada: são 8 km, sendo 4 km de descida e mais 4 km de subida. Nesse percurso o visitante vai até a metade da estrada, onde estão todos os monumentos e os melhores mirantes para a Baixada Santista. O percurso é recomendado para crianças, idosos, e pessoas com pouco costume de caminhadas. Entre subida e descida o tempo estimado é de 4 horas.

Seja qual for o tipo do passeio escolhido, além de apreciar o charme e a vista deslumbrante da estrada Velha, os visitantes terão a oportunidade de conhecer detalhes de uma das mais ricas biodiversidades do planeta - a mata atlântica -, sem deixar de lado passagens marcantes da história brasileira e um rico patrimônio arquitetônico. 

Inaugurada em 1844, a via recebeu a denominação de "Estrada da Maioridade", em alusão à emancipação de D. Pedro II. Por ela transitavam carroças e diligências, que faziam a conexão entre a Baixada Santista e o Planalto Paulista. Sobre o leito dessa estrada foi construído, em 1917, o Caminho do Mar, obra que recebeu a primeira pavimentação em concreto da América Latina, possibilitando o tráfego de automóveis, ônibus e caminhões entre São Paulo e Santos.

O Caminho do Mar corta trechos da primeira via aberta para conectar o litoral à capital paulista: a Calçada do Lorena, uma estrada construída em 1792, com pedras, considerada uma verdadeira jóia da engenharia. Por ela, D. Pedro I voltou de Santos, no dia 7 de setembro de 1822, para ganhar as margens do rio Ipiranga, onde emitiu o famoso grito, declarando a independência do País em relação a Portugal.

Em relação à arquitetura, ao longo do caminho há edificações históricas projetadas pelo arquiteto Victor Dubugras, a exemplo do Cruzeiro Quinhentista, alusivo à chegada dos portugueses no litoral vicentino e às primeiras vias de ligação entre a região e o Planalto Paulista.

 padrão do lorena

Padrão do Lorena está num dos pontos de cruzamento da Estrada Velha com a Calçada do Lorena

rancho da maioridade

Rancho da Maioridade era ponto de descanso e reabastecimento durante a viagem entre São Paulo e Santos

No quilômetro 47,2 encontra-se o monumento Padrão do Lorena, num dos três pontos de cruzamento da rodovia com a Calçada do Lorena. O Padrão do Lorena é formado por um paredão de pedra, com escadarias, um belo painel de azulejos e um arco de abrigo. Duzentos metros adiante situa-se o Rancho da Maioridade, ponto de descanso e reabastecimento durante a viagem entre São Paulo e Santos, O prédio relembra a antiga Estrada da Maioridade, reproduzindo símbolos da autoridade de D. Pedro II, como as armas do Império com seu escudo e esfera armilar. Na curva onde se encontra, foi preservado o piso em macadame da estrada original.

 pouso de paranapiacaba

Vista do Pouso de Paranapiacaba

Situado no quilômetro 45, está o Belvedere Circular, outro ponto de intersecção com a Calçada do Lorena, e no km 43, onde termina a Serra do Mar, encontra-se o Pouso de Paranapiacaba. Nesta bela casa de pedra, que representa a época moderna, a era rodoviária, há um painel de azulejos retratando um mapa rodoviário do estado de São Paulo, com estradas que nem ao menos existiam, demonstrando a visão de futuro de seus idealizadores.

Não muito longe do Pouso de Paranapiacaba está o Monumento do Pico. Construído na mesma época dos demais mencionados, marca o início do trecho de serra da antiga Calçada do Lorena.

Para o passeio:

Use roupa confortável, tênis com solado anti derrapante, boné, protetor solar e repelente contra insetos.

Leve capa de chuva, água e lanche leve, dando preferência a frutas, barra de cereal ou de chocolate.

Recomenda-se o uso de mochila para deixar as mãos sempre livres.

Acompanhe o grupo durante todo o percurso.

Consulte o monitor sempre que precisar.

Recolha sempre o seu lixo.

Conserve os monumentos históricos e cuide do meio ambiente.

Leve do local apenas fotos e boas recordações

Serviço

A Estrada Velha de Santos está aberta à visitação de terça-feira a domingo, das 8h30 às 16h. Os passeios devem ser agendados pelo telefone (11) 3333-7666. Custam R$ 15 aos finais de semana e R$ 10 de terça à sexta-feira. Há estacionamento gratuito para quem for de carro até o Portal de Acesso ao Caminhos do Mar. Endereço: Estrada Caminho do Mar (SP-148), km 42 - São Bernardo do Campo. Os visitantes/grupos que tiverem interesse podem também descer toda a estrada e sair pela portaria que fica em Cubatão e ir até a rodoviária da cidade para utilizar um ônibus para retornar. Os visitantes podem também fretar, por conta própria, um transporte que pode descer pela Anchieta e aguardá-los no Portal em Cubatão.