Praias

Mercado Modelo

Centro de artesanato e cultura no coração de Salvador


mercado1

Mercado Modelo enfeita centro de Salvador. Foto: divulgação / Emtursa

"Um local mágico". Foi com esse adjetivo que a paulista Ana Tereza definiu o Mercado Modelo. O antigo prédio no estilo neoclássico do século XIX, localizado no coração de Salvador (BA), encanta quem o conhece. Cheio de histórias, o Mercado se tornou um dos locais mais visitado da capital baiana. Cerca de 80% dos turistas que chegam à cidade passam pelo centro de artesanato mais famoso do país.

mercado2 

Lojas oferecem lembranças e produtos típicos da Bahia. Foto: divulgação / Emtursa

Cartão-postal de Salvador, o Mercado Modelo é um reduto tradicional de comercialização de artesanato, como peças de cerâmica, bijuterias, artigos de couro, instrumentos musicais, esculturas, roupas, rendas e bordados. São 263 lojas, distribuídas em dois andares. Local ideal para comprar lembranças da Bahia e presentear amigos. A oferta é tanta que o difícil é escolher.

 capoeira

Entre petiscos e cervejas, um show de capoeira. Foto: divulgação / Emtursa

Não foi à-toa que o Mercado Modelo ficou conhecido como templo da arte regional. Além das lojinhas, o prédio tornou-se ponto de encontro de moradores da região e dispõe de espaço cultural e artístico para apresentação de rodas de capoeira e danças típicas. Durante a visita, aproveite para saborear a culinária baiana em um dos restaurantes que ocupam o segundo andar e curta a maravilhosa vista para a Baía de Todos os Santos.

baía

Baía de Todos os Santos pode ser admirada da sacada do Mercado Modelo. Foto: divulgação / Emtursa

Para terminar o passeio, visite o subsolo do prédio. A galeria, sustentada por arcadas, fica abaixo do nível do mar e permanece constantemente alagada. Foi construída como local de armazenamento de vinhos e outras mercadorias que necessitavam de umidade. O espaço servia também para colocar os escravos recém-chegados da África. Diz a lenda, que as almas dos que ali morreram ainda habitam o prédio. Os antigos guardas garantem que ouviam o barulho das correntes dos escravos mortos. Apesar do cheiro forte de umidade, a visita ao subsolo vale a pena.

 Quase um século de existência

 vistamercado

Vista aérea do Mercado Modelo. Foto: divulgação / Emtursa

Desde sua criação, o Mercado Modelo se tornou ponto de encontro de intelectuais, moradores da região, boêmios e comerciantes que atracavam seus barcos na rampa logo em frente ao prédio. Personalidades como Sartre, Simone de Beavouir, Pablo Neruda e Érico Veríssimo figuravam como freqüentadores. O Mercado também já serviu de inspiração para escritores, como Jorge Amado, que tomou o local para a criação do romance A morte e a morte de Quincas Berro D´água. A fama é tanta que corre os quatro cantos do mundo e chegou até à família real Inglesa, que fez uma visita ao monumento em 1968.

 exposicao

Exposições de arte completam as opções de entretenimento no Mercado. Foto: divulgação / Emtursa

A história do Mercado Modelo começa muitos anos antes, em 1912, quando servia como centro de abastecimento alimentício da capital baiana. Um incêndio, em 1969, destruiu  totalmente a edificação e o mercado foi transferido para a Casa da Alfândega, onde funciona até hoje. Com a mudança, o Mercado Modelo desviou sua atenção para a comercialização de artesanato e produtos típicos da Bahia. Um passeio perfeito, onde o presente e o passado se misturam e revelam a verdadeira alma da Bahia.

baianas

Baianas se reúnem em frente ao Mercado. Foto: divulgação / Emtursa

 Serviço

  • O Mercado Modelo funciona de segunda a sábado, das 9h ás 19h, e domingos e feriados das 9h ás 14h (restaurante até às 16h).
  • O espaço para estacionamento público na região é limitado, porém há uma área particular de estacionamento rotativo ao lado do prédio.
  • O Mercado Modelo está localizado na Praça Visconde de Cayrú, na Cidade Baixa, região conhecida como Comércio, aos pés do Elevador Lacerda.

 Onde ficar na região central de Salvador

 

Pestana Convento do Carmo

 

Hotel Tropical da Bahia

 

Sol Barra

 

 

Marina Silva - 30/11/2008