Praias

Museu de Pesca se mantém atrativo há mais de 60 anos


O museu, que pertence ao Instituo de Pesca de Santos, é um órgao vinculado à Agencia Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo. Como museu, ele existe desde 1950, porém, em meados de 1700 foi construído como o Forte Augusto, em seguida transformou-se em uma escola de aprendizes de marinheiros. O imóvel fica na Ponta da Praia, em Santos, e só o visual já valeria a visita. Segundo a pesquisadora do Instituto de Pesca e diretora do museu, Thais Geron Macedo, a principal função do equipamento é promover a educação ambiental: "Queremos mostrar à população a importância da vida marinha e continental, pescados de água do mar e doce e, também usar o museu como um local para expor os resultados  das pesquisas que fazemos no Instituto", diz.

A diretora ressalta as principais atrações do museu, que está em fase de reorganização do acervo já existente. A visita começa pela sala dos tubarões, com diversas espécies taxidermizadas. "A sala tem várias espécies de tubarões, todos animais que eram vivos e depois que morreram foram doados para o museu e passaram pelo processo de taxidermia, quando os órgãos são retirados e ele é preenchido por plástico bolha. Antigamente era preenchido com serragem, mas tínhamos problemas com cupim", explica Thaís.

A atração reúne diversas curiosidades;  por exemplo, quem visitou o famoso Aquário de Santos na infância, se lembra dos carismáticos Macaé e Macaézinho, respectivamente leão e lobo marinho. Ambos foram taxidermizados e fazem parte do acervo do Museu de Pesca. Além dos animais taxidermizados, há ossadas de diversas espécies, assim como exposição de conchas e areias de várias partes do Brasil e do mundo. O museu conta, inclusive, com o protótipo de um submarino e uma área lúdica em forma de cenário que representa os quatro ecossistemas marinhos do litoral paulista (manguezal, praia arenosa, costão rochoso e fundo do mar).

A Raia Manta de 4,40 metros exposta na entrada do museu e a Lula Gigante, que tem cinco metros de comprimento e pesa 91 quilos, sendo a única em exposição no mundo, até tentam disputar com a atração principal: a ossada de uma baleia com cerca de 20 metros de comprimento. São 193 ossos quem somam sete toneladas. "O museu abriu as portas em 1950 com a nossa principal atração, a ossada de baleia. Em 1942 ela foi encontrada encalhada em Peruíbe, provavelmente se perdeu e encalhou por lá;  ela foi montada por um pesquisador de Campinas e veio para o nosso espaço. No começo ela ficava em ripas de madeira, hoje ela é presa por vigas de aço", explica a diretora do museu.

O Museu de Pesca fica na Avenida Bartolomeu de Gusmão, 192, na Ponta da Praia, em Santos. Funciona de quarta à domingo, das 10h às 18h. Os ingressos custam R$ 2,50 para estudante e R$ 5,00 inteira. Crianças até seis anos e adultos acima de 60 não pagam a entrada.

Anna Gabriela Ribeiro - 10/8/2017